O presidente Jair Bolsonaro concedeu entrevista coletiva de máscara nesta tarde (18), ao lado de vários ministros – também vestindo máscara – e disse que “todos saberíamos que o vírus chegaria”.

A declaração é feita três dias depois de ele ter descumprido recomendações médicas e cumprimentado, no último domingo, manifestantes que foram às ruas em defesa de seu governo contra as instituições. Sobre os atos, ele voltou a dizer que não os convocou e defendeu sua legitimidade.

Criticou ainda o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, elogiou a CNN Brasil e voltou a atacar a jornalista Vera Magalhães, chamando-a de inconsequente. Dias após também de ter chamado a crise do coronavírus de “histeria”, hoje ele voltou a dizer que a mídia “potencializou” o tema.