Na manhã de hoje (14), 150 policiais civis do Estado de Goiás deflagraram a Operação Peregrino, fase III, na qual foram cumpridos 26 mandados de busca e apreensão e 11 mandados de prisão temporária, sendo que as investigações foram realizadas em conjunto com a Polícia Civil do Estado de São Paulo.

Por meio de investigações realizadas pelas duas forças policiais, foram identificados criminosos que disponibilizaram suas contas bancárias para recebimentos dos valores oriundos dos crimes e também criminosos que são executores de golpes aplicados via WhatsApp. As vítimas foram familiares de médicos, artistas, servidores públicos, delegados e juízes do Estado de São Paulo, que foram abordados por meio de mensagens, via WhatsApp.

Nos perfis do aplicativo havia como foto de perfil e identificação daquele familiar que teve a identificação usada para abordar as vítimas. Após algumas trocas de mensagens, o criminoso solicitava transferências bancárias, em nome daquele que tinha sua identificação fraudulentamente utilizada. Desta forma, durante as investigações, foram verificadas as identificações de criminosos que estariam localizados nos estados de São Paulo, Pará e Goiás.

Desta forma, foram judicialmente expedidos 26 mandados de busca e apreensão para alvos localizados em Goiás e 11 mandados de prisão temporária, sendo que, até o presente momento, todos as buscas foram cumpridas e 07 criminosos foram presos nas cidades de Goiânia, Aparecida de Goiânia, Senador Canedo e Rio Verde.

Em Goiás, a operação foi coordenada pela Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Cibernéticos (DERCC) e, em São Paulo, foi coordenada pelo Departamento de Operações Policiais Estratégicas/Capturas. Os presos se encontram recolhidos e à disposição do Poder Judiciário. Os inquéritos policiais serão concluídos nos próximos dias.