O Corpo de Bombeiros Militar (CBMGO) lançou a Operação Tempestade. Por meio da ação, serão promovidas atividades preventivas, com o objetivo de evitar acidentes e desastres durante o período chuvoso, em Goiás.

A operação é realizada de forma conjunta à Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) e à Defesa Civil, por meio do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden).

Segundo o tenente coronel, Thiago Abdala, da assessoria de comunicação do CBMGO, ações serão voltadas à instrução das pessoas, com a entrega de folhetos digitais, cartilhas e orientações através do telefone 40199.

O efetivo da corporação deverá ainda passar por treinamentos, para lidar com ocorrências de alagamentos, enxurradas, deslizamento, soterramento e queda de árvores. “Estaremos com todo efetivo empenhado em atender a toda população, nos 246 municípios, principalmente voltados a eventos dessa natureza. Nosso objetivo é minimizar acidentes e danos provocados pelas chuvas, de forma preventiva, orientando a população”, destacou.

Durante o período da operação, o Corpo de Bombeiros irá contar com apoio de informações meteorológicas, para a análise de dados e posterior elaboração de ações preventivas. O Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas do Estado de Goiás (Cimehgo), da Semad, atualmente consegue prever desastres climáticos com três dias de antecedência. Em caso de possíveis ocorrências, a corporação será alertada, conseguindo assim promover o planejamento estratégico e orientar a população.

“Recebemos todos os dias, as informações referentes ao clima, ao risco de chuva, tempestades, raios e todos aqueles eventos adversos que podem causar o aumento e acúmulo de precipitações hídricas, podendo gerar riscos e danos à população. Estaremos todos os dias informando os quartéis e trabalhando também marcando o índice do pluviômetro, que existe em vários locais instalado e fornece, através da Semad, essas informações. Esperamos que possamos fazer um trabalho educativo e preventivo, junto com a população, para mitigação desses danos causados pelo aumento das chuvas”, afirmou.

De outubro de 2019 a abril de 2020, quando as ações também foram intensificadas em Goiás, a corporação registrou um total de 254 ocorrências de alagamentos e inundações. Nesse mesmo período, foram 17 registros de enchentes, 20 de soterramentos e deslizamentos e 1.352 quedas de árvores. Para evitar novas ocorrências, principalmente de alagamento, todas as barragens e lagos deverão passar por vistorias e monitoramento constantes.