Vários órgãos do Estado de Goiás e da União estarão unidos para garantir o cumprimento do Decreto Estadual, que cancelou a Temporada do Araguaia. Entretanto, muitos turistas insistem em frequentar a região do Rio Araguaia, mesmo com a proibição de aglomeração de pessoas, para evitar a expansão da pandemia da Covid-19 no estado.

Durante uma reunião, ontem (15), comandada pelo presidente da Goiás Turismo, Fabrício Amaral, foram discutidas as ações conjuntas que serão realizadas imediatamente e ao longo do mês de julho nos municípios e distritos da Região Turística Vale do Araguaia.

O decreto, que proíbe acampamentos, aglomerações e shows ao longo do Araguaia, começa a valer no dia 1º de julho. Também estão vedados o uso coletivo de beiras de rios, cachoeiras e praias formadas no Rio Araguaia e seus afluentes e a instalação de estruturas temporárias de restaurantes, bares, banheiros, pontos de apoio e quaisquer outras de atendimento a turistas e usuários em praias, beiras de rios e cachoeiras. Em caso de descumprimento, as multas previstas variam de R$ 1 mil a R$ 500 mil