Por Márcio Souza, do JGDN

Visando políticas de prevenção à saúde e tratamentos contínuos para a população, o médico Nelson Remy Gillet, um dos diretores e sócios do Hospital São Francisco de Assis, em Goiânia, cedeu entrevista ao Jornal Guia de Notícias. Como candidato a vereador, ele traçou ações e projetos inovadores para a cidade.

O médico pontua que é preciso construir uma gestão de cidadania, investir em programas de prevenção de doenças e ofertar tratamentos eficazes. Um dos projetos de Gillet é dar assistência às pessoas por meio do celular.

“É a saúde aliada à tecnologia 5G, que, através de uma parceria, você, como cidadão, tenha acompanhamento médico. É propôr ao goianiense, através do celular, acesso não só a telemedicina, mas aos remédios e suas necessidades. Vou lutar para um sistema de saúde que possa atender a todos, inclusive o deficiente, seja físico, visual ou auditivo”, afirma.

Com o dispositivo móvel em mãos, de acordo com Nelson, a população que sofre com depressão, ansiedade, entre outros males, vai ser capaz, de forma rápida, buscar ajuda de psicólogos, terapeutas, além de ações de cunho religioso.

“Como criador intelectual do Credeq (Centro de Referência e Excelência em Dependência Química), trabalho com pessoas que enfrentam diversos tipos de vícios. Então imagina você poder ofertar para essa gente, com o celular, um acolhimento, para dizer para aonde elas devem ir [em busca de tratamento]. Isso não só dá o norte, mas também orientar. É preciso fazer um programa aonde a pessoa se sinta realmente com esperança de que vai ser incluída no meio social. A mudança na sociedade só ocorre quando dá respaldo e começa a trabalhar”, pondera.

Trabalhando há anos em programas sociais, Dr. Gillet diz que a criminalidade não é só fruto da violência, mas também da exclusão e falta de valores, ética e moral.

Além de trabalhos voltados para a área comunitária, o médico destaca ainda, projetos de emprego e renda que vai ser integrado em bairros da cidade.

“É preciso descentralizar a região central, fazer com que o indivíduo não saia do seu bairro para ir de um lado para o outro da cidade, para garantir seu pão de cada dia. É preciso fazer a economia girar de forma assertiva”.

Um dos calcanhar de aquiles na gestão pública é o transporte público. A população fica à mercer de um serviço deficitário que não acompanha o ritmo e crescimento da cidade. Como melhoria no setor, Nelson cita a criação de uma integração com os dezessete municípios da Grande Goiânia.

“A mobilidade urbana deve ser equacionada. Quero fazer uma integração com os dezessete municípios da região Metropolitana da capital para que nós possamos, além melhorar mobilidade, fornecer o tratamento de lixo e de resíduos nesses municípios, conceder assistência médica de qualidade e resolução de alta complexidade”, explica.

Como vereador, a principal função do parlamentar é fiscalizar e sugerir avanços para a população. Para Nelson, a Câmara Municipal de Goiânia deixa muito a desejar, não respeitando a democracia e a vontade do povo.

Após trabalhar por vários anos nos bastidores da política, Dr. Nelson quer mais – ser protagonista da sua própria história.

“Eu quero fazer medicina pública e preventiva. Não vou deixar de ser médico, só irei começar a atuar em uma nova modalidade da medicina. Eu estou com 75 anos, e nesses quatro anos, se eleito, quero dedicar aquilo que eu aprendi, e transferir para os mais jovens minhas virtudes, concluiu o candidato.

Fotos: Arquivo pessoal